É quem tem os pés na terra e nos diz espera quando a euforia diz para ir, e nos diz vai quando o desânimo pesa nas pernas.

Confesso que me irritou aqueles últimos minutos do jogo de Portugal. Mas o Fernando Santos fez-me mudar de opinião.
Tínhamos o objectivo do apuramento da mão, para quê correr o risco de ser eliminado?
Para evitar os tubarões? Se a Croácia eliminar a Espanha também é um tubarão, e para apanhar tubarões ou não é preciso estar lá. E ele está.