pequenas coisas

turning into dust
[zoomsounds_player source=”/wp-content/plugins/fwduvp/content/music/Mazzy Star – Into Dust.mp3″ config=”tinta” artistname=”Mazzy Star” songname=”Into Dust” thumb=”https://3.bp.blogspot.com/-tbZoRFECPTQ/UBGEnFrBYFI/AAAAAAAA1Kw/z8g-gv609pg/s400/Hope%20Sandoval%20mazzystar.jpg” play_target=”footer”]

não quero ser nada do que não sou, e depois mais um bocado

 

que as paredes venham, o silêncio suba pelo corpo,
a noite inteira, centímetro a centímetro

 

 

se tivesse uma mala enchia-a de esquecimento e vinho
e esperava

 

 

estou destinado a ter medo
que o mar se apaga em qualquer janela

 

 

bebo aos joões e marias
que de cada pequena terça-feira
fazem uma onda

 

 

saí para comprar uma barragem e lágrimas

 

 

afazeres
reunir a cama, lavar os papeis, fazer o chão
despir-me, que os olhos pesam

 

 

quero aprender a pintar
vou pintar o antónio, o joão, a maria e um unicórnio cor de rosa que me veio dar a mão

 

 

se as pessoas são tão espertas, porque roubam as máquinas o trabalho às pessoas,
e não vejo pessoas a roubar o trabalho às máquinas?

 

fechemos a caneta, cansei-me, vou fazer um chá

 

 

 

o pior dos subúrbios é gerar suburbanos

 

Ouvi dizer que as mulheres envelhecem pelas mãos. Será verdade?

 

Uma pessoa de princípios é uma pessoa que não acaba?

 

dizer o que se deve dizer
ou dizer o que não se deve dizer?