sede

há quem inveje quem não sofre

mas esses nunca se hão-de queimar nas asas do desejo

até os pobres de espirito se cansam de feijão com arroz


Deixar uma resposta