A vida é uma merda. A gente dobra-a, verga-a, pomos-lhe umas mantas e uns cartões a modos de conforto. Dói menos, amortece as feridas. Há mesmo uns momentos em que pensamos ser tudo nosso. Mas não, a realidade é que a vida dói. E muito.

Sabem o que me separa de um suicida?
É que mesmo esta dor que a vida me traz, me sabe bem.
Sabe-me a vida.