O silêncio não se gasta, não se machuca. O silêncio não se estraga com outro silêncio que se venha sentar a seu lado. Fica só um silêncio melhor.

As palavras cansam-se de repetidas, sabem a usado. As palavras estranham a vizinhança. Se uma não se der bem com a que está à sua beira, é a desarmonia.

Isto tudo para dizer o quê? Que há tanta gente que fala desencontrada, mas ninguém se desencontra ao calar-se.

Pode haver desencontro na ausência, que não é o mesmo que silêncio. Quem já se foi não se pode calar.

Não me apetece dormir, prefiro estar aqui silêncio com silêncio.