Quando tiver a tua idade

Quando tiver a tua idade

 

Quando tiver a tua idade
usarei a roupa que vestistes
poderei então coxo dos teus pés
pelas ruas dentes podres
ir dizendo windsurf bolero graçola
e do círculo assim nascido
queimarei os braços agora livres

Mas parai!
reconheço o quieto percurso
dourado trajecto, vagabundo dilecto
nem sombra é
mais que nada seria muito


8 Comentários

    • Luis

      e ainda dizem que eu é que bebo muito 😀

    • Luis

      melhorou mas fiquei na mesma, pertence aonde?

    • Luis

      duplicar, não é bonito pois não?
      ando com pouco tempo e queda para escrevinhaturas, isto é mais antigo que o papa, é tudo dos tempos de mocidade

  • kodakkhrome

    muito seria muito de nada
    nada seria tanto de muito

    mesmo se fosse tanto era
    nada de muito tanto de nada

    • Luis

      olha, brindemos a isso. Brindemos a tudo e a nada
      (hás-de beber qualquer coisa que dê para brindar, não? 🙂

Deixar uma resposta