O ritual blogosférico raramente muda. Visita-se os blogs que nos atraem por um motivo ou outro, dá-se uma vista de olhos aos artigos do topo, e pronto.

Raramente os arquivos são visitados. Quanto muito têm direito a um relance, numa primeira visita, caso a coisa tenha agradado mesmo.

Ora isso quer dizer que não se deve escrever muito num curto espaço de tempo. Sob pena que artigos já de si obscuros, porque enterrados no turbilhão blogosférico, se tornem ainda mais obscuros porque enterrados no seu próprio blog.

Os blogs deveriam permitir, sem grandes mexidas, destacar alguns artigos para evitar que o tempo mate de igual maneira o mau e o menos mau. Seria assim uma espécie de “o melhor de”.