percebi hoje o que inebria

e agora, como esquecer este perfume?
fingir que não vi os teus ombros, o teu andar?

maldita tu coberta de branco e de céu