peço a morte
Peço a morte.
Quero-a pelo pescoço,
pela garganta fora
por esta fala turva e cansada

a golpes de caneta encontrá-la
neste branco esventrado

tê-la e nunca mais.