para o geninho

poesia não se faz de palavras esdrúxulas
beleza não é obra de engenharia nem cozinhado exótico

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

https://www.escritas.org/pt/eugenio-de-andrade

Comentário (nome, etc, é opcional)