Fev 20

o coração de papel amareleceu no esquecimento de te amar

[zoomsounds_player source=”/wp-content/plugins/fwduvp/content/poesia/Al Berto – Coimbra Janeiro 1992.mp3″ config=”tinta” artistname=”Al Berto” play_target=”footer”]

habito neste país de água por engano
são-me necessárias imagens radiografias de ossos
rostos desfocados
mãos sobre corpos impressos no papel e nos espelhos
repara
nada mais possuo
a não ser este recado que hoje segue manchado de finos bagos de romã
repara
como o coração de papel amareleceu no esquecimento de te amar

0 thoughts on “o coração de papel amareleceu no esquecimento de te amar”

Comentário (nome, etc, é opcional)