Não é a cena do orgulho, não é mesmo

Quando pensas para trás, tipo #%&%&& estive muito bem (não num momento, mas numa altura da vida) e ficas com um sorriso na alma

No que pensas?


6 Comentários

  • Luis Rodrigues

    No outro dia veio à baila a história de cada coisa ter em si o seu contrário, e não é giro descobrir espaços de liberdade que nunca tinha visto? Ou vá lá, raramente e a espaços.

  • Isabel Pires

    Por que razão não pode ser a cena do orgulho nessas circunstâncias?
    Talvez digas isso porque se associa muito o orgulho a vaidade, ostentação, soberba… Mas não tem de ser. Isso já tem que ver com possíveis consequências do excesso de orgulho.

    O orgulho é um sentimento de satisfação relativo à capacidade de realizar algo ou inerente a características da personalidade, como a dignidade.

    No cenário que referes penso em: satisfação, orgulho, sentir bem.
    Sei que posso dizer quase indiferentemente: “Fiquei/senti-me muito satisfeita.”, “Senti-me orgulhosa.”, “Senti-me muito bem pela forma como estive naquilo, como reagi…”

    Agora vem ali a questão dos contrários… Como diria o contrário disto?
    Diria mais facilmente: “Senti-me mal.” e “Senti-me insatisfeita.”
    Dificilmente diria: “Não senti nenhum orgulho em mim.” E isto porque não existe um antónimo de orgulho que expresse bem o seu contrário, como insatisfação ou até infelicidade expressam bem o contrário do sentir-se bem.

    É difícil certas palavras desprenderem-se da conotação negativa que também lhes é associada.
    Por exemplo, é comum ouvir-se isto: “Eu não pergunto nada; era o que faltava; sou muito orgulhoso(a).” (Nessas ocasiões penso para mim na estupidez que para ali vai; o orgulho a galgar a montanha da arrogância.)

    • Luis Rodrigues

      O titulo não tem a ver com o poder ou não ser, motivo de orgulho.

      Tem a ver com o ser independente do orgulho e dos outros.

      Quando estás com os teus botões, para ti mesma, o que te faz sorrir quando olhas para trás?

      • Luis Rodrigues

        não tem a ver com o assunto do post, mas lembrei-me dum rapazito que dizia ‘o inferno são os outros’

      • Isabel Pires

        O que conquistei apesar das adversidades e, sobretudo, o conseguir reerguer-me do caos.

        • Luis Rodrigues

          reparei, que na verdade perguntei, mas não era minha intenção que fosse respondida, era mais para ser pensada 😉

Deixar uma resposta