À minha beira um gajo levanta-se, e do do alto da gola alta, aponta prá vitrine e diz: É uma garoupa.

Estive para me levantar e dizer: não é uma garoupa, é uma cadeira.

Mas prontos, como sou tímido ninguém naquele restaurante sabe de mim e da cadeira.

Amanhã sento-me numa garoupa.


2 Comentários

Deixar uma resposta