Manifesto

Limpa a secretária.
Lava os pratos.
Limpa o chão.
Lava a roupa.
Lava os dedos dos pés.
Muda a fralda do bebé.
Acaba o relatório.
Corrige os erros.
Conserta a cerca.
Mantém o cliente feliz.
Põe o lixo na rua.
Cuidado para não pôr coisas no nariz.
O que devo vestir?
Não tenho meias.
Paga as contas.
Guarda a dor.
Lava o cabelo.
Troca os lençóis.
Vai ao mercado.
Repete.
Vai trabalhar.
Limpa a mesa.
Mantém-te jovem.


10 Comentários

    • Luis

      escolhia antes: forte

      de vez em quando é bom ver um filme sem vencedores nem vencidos, diria até sem história
      quanto mais não seja para não nos deixarmos adormecer em dia a dia

      E depois fiquei a admirar a Cate Camaleão Blanchett. não sei quantos personagens tem o filme. A cena final tem alguns
      Ela é todos.

      (e nós somos quantos?)

      • Ana Gilbert

        Não sei qual é o filme…
        Somos feitos de palavras e também de imagens, muitas… e muitos somos nós, penso eu

        • Luis

          e quando somos muitos, misturados? hmm…

          bom!

            • Luis

              😀 tiraste-me as palavras da boca

  • kodakkhrome

    os dias são sempre iguais, disse-te
    um atrás do outro sempre fazes as mesmas coisas
    o filme não vi mas adivinho
    é sempre o filme das nossas vidas
    quebranto
    quem?

    • Luis

      só são iguais se tu fores também igual, e não és
      mesmo quando custa se os dias não te acompanham

      pus-me a adivinhar o que adivinhas 😉

  • alexandra g.

    😀

    É por isto – não vi o que se refere às imagens, às vezes aborrecem-me, eu gosto é das palavras – que adoro as palavras, poder gritar alegremente que adoro a minha idade, que tem uma relação directa com o facto de ser mãe de duas belas, de 24 e 21 anos (esta, já mãe, também de uma bela endo-as crescer, agora mulheres, independentes, traz uma felicidade tão enorme, tão excelente, que só posso gostar de mim, exactamente como sou/estou.

    • Luis

      as imagens aborrecem-se quando se armam em mandonas, tipo se não tiver imagens não existe, como se fossem a única coisa

      grita para aí mulheri! 🙂

      quando se grita de felicidade e de prazer, melhor ainda!

Deixar uma resposta