Leitura ao acordar


8 Comentários

  • Isabel Pires

    Estou a lembrar-me que até nisto a natureza é sensata e generosa.
    É que normalmente o envelhecimento traz-nos mais cedo a dificuldade de ver ao perto, e preserva durante mais tempo a possibilidade de ver ao longe.

    Embora a miopia de que se fala aqui esteja noutro plano (abertura ao mundo, estar desperto para, sair de nós para ver mais além, sentir ‘o que toca aos outros’, contrariar a indiferença), não deixa de ser curiosa essa ajuda da natureza.

    Por que razão essa facilidade ao nível fisiológico não há-de estar mais alinhada com o que se passa no nosso interior e nas nossas acções? (Não é bem uma pergunta à espera de ver aqui uma resposta. É mais uma indignação.)

    • Luis

      as coisas que me custam são as inevitáveis, e essa custa-me mundos, eu que há um ano lia nas calmas a bula mais pequena….

      • Isabel Pires

        Um dos motivos que nos últimos anos me têm levado a apreciar ainda mais a luz natural é o poder ver bem , e ler bem, as mais miúdas sem ter que pôr os óculos.
        Tem-me custado muitíssimo aceitar a diminuição da visão ao perto, e dar conta que existem outros aspectos que influenciam tanto. Por exemplo, quando estou mais cansada ou nervosa, vejo pior.

    • Luis

      ana, disse quem sabe
      ‘detive-me com uma árvore
      e ouvi falar as árvores’

      e quem se detém?

Deixar uma resposta