Sou tudo o que não sou
Sou tudo o que não fiz

Sou único sou muitos sou mundo imundo sou tudo o que imagino invagino e imploro sou passos pedras e aves sou a roda que pede sou a beleza inglória sou o corredor que recua sou a carteira com barbas sou as pernas que crescem  sou a rotunda estúpida sou a luz escura sou as mesas que se levantam sou as vozes que se dizem

E não se calam