Guantanamo

Centenas de pessoas estão presas em Guantanamo. Não se sabe ao certo quantas, nem quem são. Não podem ser visitados pela família nem têm acesso a advogado.

Não sabem porque estão presos porque nunca foram acusados de nada. Não sabem quanto tempo lá estarão. Pode ser por toda a vida, depende única e exclusivamente de uma decisão arbitrária dos EUA.

As greves da fome e as tentativas de suicídio são frequentes. Do pouco que se sabe é que também estão presas crianças. A mais nova tem TREZE anos.

Poderia ser esta, não fosse o facto de ter olhos azuis..

Leitura dos jornais

A CNN quando cita a TV iraniana é sempre assim “the state-run TV said”, ou seja mais ou menos isto “a TV gerida pelo estado disse”. E no Irão, será que dizem a cada passo, “a TV gerida pelos capitalistas disse”? Talvez.

Do “Salon”: O aquecimento global é um tema tabú para os metereologistas televisivos. Porquê? É controverso e mau para os “ratings” de audiência. Solução, dizer que vai estar sol, e pronto.

Do Guardian um “faite driver”: Há um campeão que tomou 40.000 pastilhas de ecstasy nos últimos 9 anos… Chegou a tomar 25 pastilhas por dia. Boa mike!

Ao vestir o blusão

encontrei no bolso um recorte de jornal de 16 de Janeiro. Diz que Portugal é o país mais desigual e mais pobre da União Europeia. É mau. Mas pior, diz ainda que a diferença entre os mais ricos e os mais pobres tem aumentado desde 2001. Diz que dois milhões (!!) de pessoas vivem com menos de 350 euros por mês. Nem sei que dizer. Hoje vi nas “gordas” que os 8% de desempregados são na realidade mais de 10%, se contarmos com o sub-emprego e os formandos (que são desempregados encapotados). Li que os bancos não aceitam como cliente desempregados. Vou deixar de ler. Ou então leio só poesia, é menos deprimente….

Sono

O manequim da rua dos fanqueiros foi eleito com 50,59% dos votos. Foi???

A percentagem é calculada com base nos votantes em candidados. Para além dos nulos e abstenção, excluem os votos em branco!!! Se houver um candidato que vote em si mesmo, e o resto da população não votar porque o acha um banana, esse candidato é eleito com 100% dos votos, i.e. um voto.

Ou seja os votos são considerados, desde que digam sim, gosto deste sistema, destes candidatos. Se o voto for para dizer não, é ignorado. Pode-se ter “voz” desde que seja a “correcta”. O tal manequim, considerando todos os votantes nem foi eleito, teve 49,66%. E dos inscritos teve 31,09%. Retumbante, de facto.

Nota lateral: Sóares de frase feita para encher o ouvido: Vencido é quem desiste de lutar. Então, quem é levado ao colo por um partido, e depois tem menos de um terço dos votos desse mesmo partido, conseguindo ainda pelo caminho virar as costas a um companheiro de décadas, é o quê?

PS. Juro que tentei não falar nesta treta, a que, sinceramente, não liguei quase nada, mas não consegui…

Se votasse, votava no Garcia Pereira. Eis a razão.

Eu tinha 9 anos de idade quando fui com a minha mãe visitar o meu tio que tinha sido preso envolvido no chamado assalto ao Quartel de Beja.

Era militar. O Capitão Pestana tinha sido preso. Não tinha sido propriamente espancado mas tinha sido sujeito durante 8 dias à tortura do sono.
Fui visitá-lo ao Aljube que era para quem não conhece uma prisão das mais odiosas, das mais deprimentes, das mais pesadas. Onde havia as celas chamadas curros. Onde as pessoas não cabiam de pé. Não tinham iluminação. Passavam o dia inteiro entre o agachado e o deitado. E onde aguardavam ser transportados para a António Maria Cardoso para serem torturados lá.

E o meu tio teve 8 dias de tortura do sono. E finalmente houve licença para a visita. E a visita era uma fiada de grades. Nós. Outra fiada de grades. O individuo no meio. Outra fiada de grades. O preso. Outra fiada de grades.
E quando o meu tio apareceu ele estava de tal maneira desfigurado que não o reconheci. E depois finalmente percebi que era o meu tio Chico. E começaram a vir as lágrimas aos olhos e comecei a choramingar.

E a minha mãe agarrou-me num braço apontou-me um PIDE e disse:
«Em frente de gente desta não se chora»

Eu, frente de gente desta nunca mais chorei na minha vida nem nunca mais chorarei.