Camadas

uma fatia de tecido

outra fatia de tecido. mais fina.

e finalmente a pele.

27 comments on “Camadas

  • * says:

    espero que saibas que não seres comentado não tem rigorosamente nada a ver com o quanto fazes sentir. às vezes simplesmente não há palavras que continuem. começas e acabas.

  • uma coisa sei. não quero começar e acabar. é demasiado solitário.tem mais piada assim tipo brainstorming. todo ao molho e o último apanha os pinhões 🙂

  • afinal já somos 4 :-)vou arranjar uns pufos prá vanessa, um chá bem quente prá *e angela, qual é o truque para repetir as surpresas?

  • angela says:

    não há truque :)uma surpresa, por ser surpresa, não se repete – renova-se, é outra vez um tudo muito novo. 🙂

  • do amigo priberam: renovar: dar aspecto de novoé que o novo novo se calhar nem há. mas umas roupinhas novas fazem milagres 😉

  • haydée says:

    pois, de roupas, tecidos e texturas vamos mudando, mas, já de pele…será mesmo aí o fim?

  • nunca olhaste para uma coisa num dia com amor noutro dia com raiva?nem a pele escapa a essa mudança. o que por um lado é bom (nos dias de amor) por outro lado é mau (nos dias de raiva)só é preciso que os dias de raiva se percam no meio dos dias de amor 😉

  • jessica vega says:

    essa coisa de falar de pele … me deixa de pelo em pé …é pela pela pele que se expele …a pele que se sente da pele

  • musalia says:

    mas a mudança não está em nós? na forma como o nosso sentir, de momento, ‘olha’?verdade que a pele enruga, envelhece, acumula os sofrimentos do tempo…mas, dentro de nós, há cada mudança…:)

  • musalia says:

    não tenho vindo porque estive ausente e esporadicamente perto destas maquinetas da net. sem muita vontade de teclar, é certo …:)))

  • jessica, a pele é tudo o que nos cobre e descobre…musalia, por fora somos forçados, pelas evidências, a reconhecer que mudamospor dentro somos forçados, pelas evidências, a reconhecer que não mudamospor muito que nos custe, no essencial mudamos mais por fora do que por dentro

    • Luis says:

      sabes, odeio mas odeio mesmo, a merda da posse, do é meu
      sonho com coisas inexistentes onde não há nada disso

      um dia ‘encontrei’ quem disse isso bem

Leave a Reply to haydée Cancel reply