Não há mar que me assuste
nem fogo que me queime

O tédio acumula-se
os prédios acumulam-se
dias feitos com passado

Não há mar não há chão
Só dias acumulados como prédios
sem sustos nem mar

Dias nascidos feitos cinza
flores de pó

dor, leva-me daqui
faz-me chão

assusta-me ou ama-me