Apólices de seguro

Quando se quer fazer um seguro de vida, há sempre aquelas exclusões.
Andar de mota a fazer o pino e a cantar o solidó, ou seja bêbado que nem um cacho. Etc etc.

O que nunca vi nas exclusões é sonhar. Atividade reconhecidamente perigosa.

De que morreu ele? Sabes lá, sonhou alto e caiu de uns quinhentos metros.

Conclusão? A malta dos seguros são todos uns sonhadores.

3 comments on “Apólices de seguro

  • Já leste “A estrela”, do Vergílio Ferreira? Fala disso mesmo, do sonhar alto e cair bem caído. Só não sei se os pais da criança foram indemnizados.

  • Se voava era um anjo ou um avião.

    Se era um avião, não tem pais.
    Se era um anjo, não tem pais.

    Ps. Defendo a malta dos seguros.

  • O menino caiu, não voou. Podia ter pais, não era anjo, embora tivesse perseguido as estrelas, não era avião, pois que caiu redondo, sem direito a sentir o vento a planar-lhe os braços.

Leave a Reply to Luis Rodrigues Cancel reply