Aperto de mão

Está na moda este aperto de mão. É usado mais informalmente e como sinal de intimidade.
Mas está tão vulgarizado que nunca se sabe. Estava a almoçar, chega um senhor menos jovem de fato impecável, e cumprimenta o outro assim.

Dantes só havia um aperto de mão, era estender e apertar, não havia nada que saber.
Agora na fase de aproximação temos que ir fazendo a avaliação de qual dos apertos de mão se vai usar.
Um pouco por causa disso, surgiu uma técnica que já domino. Começar pelo aperto tradicional, e a meio num movimentos subtil de mãos mudar para o novo. Assim cobre-se todas as bases.

Já tínhamos o tu e o você para decidir com quem usar, agora mais o aperto de mão.
Saudade de quando a vida era simples.

2 comments on “Aperto de mão

  • Isabel Pires says:

    No novo ginásio os professores esperam-nos à entrada e à saída das aulas, e cumprimentam-nos assim. Acho graça e sabe bem, ainda mais nas aulas das 7 da manhã 😉
    Para a situação é o que me parece melhor ou o bater das palmas das mãos que às vezes também acontece.

    Fora de situações assim muito informais, de camaradagem e brincadeira até, e quando o código já está assimilado, não existe isso entre um homem e uma mulher. (Ou é beijo ou aperto de mão clássico.)
    Mas há outras dúvidas, como por exemplo aqueles casos em que não sabemos bem se é aperto de mão ou dois beijos.
    Já me aconteceu à entrada e/ou saída de entrevistas, portanto em situações de alguma formalidade, os entrevistadores homens ‘não quererem’ aperto de mão, ignorarem o braço estendido, e fazerem logo pelos beijos. (Não sei se as entrevistadoras fazem isso com os entrevistados homens.) Isto até é muito curioso porque cada vez se vê mais as mulheres nestas situações adoptarem o aperto de mão entre elas.

    Há uns anos, não muitos (15, 20, anos, por aí), não havia aperto de mão no cumprimento entre mulheres. Julgo que há sempre uma espécie de estranhamento nas situações em que acontece, até porque costuma haver uma certa hesitação.

    • Luis says:

      Ignorar o braço não fica bem, o que faço quando há desencontro (um vai com a mão e outro com a cara) é dar tudo, aperto de mão, beijos, abraços e muita confraternização 🙂

Comentário (nome, etc, é opcional)