Está na moda este aperto de mão. É usado mais informalmente e como sinal de intimidade.
Mas está tão vulgarizado que nunca se sabe. Estava a almoçar, chega um senhor menos jovem de fato impecável, e cumprimenta o outro assim.

Dantes só havia um aperto de mão, era estender e apertar, não havia nada que saber.
Agora na fase de aproximação temos que ir fazendo a avaliação de qual dos apertos de mão se vai usar.
Um pouco por causa disso, surgiu uma técnica que já domino. Começar pelo aperto tradicional, e a meio num movimentos subtil de mãos mudar para o novo. Assim cobre-se todas as bases.

Já tínhamos o tu e o você para decidir com quem usar, agora mais o aperto de mão.
Saudade de quando a vida era simples.