fez-se um chão enorme no silêncio do corpo

um chão fundo de flores e campas
seco

pequenos espaços em ruínas

e de repente…

um sorriso

nos lábios nasce uma palavra fresca
a pureza do dia em que se morre.

Conta-me as palavras que me dizias
antes de nos conhecermos

conta-me o que dizias
quando as palavras eram mudas

encosta a cabeça na minha mão

e conta-me.