Ago 6

A música portuguesa a gostar de si própria

pá, comprem o disco

Leva-me contigo, dentro de ti
para depois voltar ao bar
e por mil tragos cantar

E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
é uma alegria!!

ahhhhh

[zoomsounds_player source=”/wp-content/plugins/fwduvp/content/music/Bruno Pernadas – Love Vs Love.mp3″ config=”tinta” artistname=”Bruno Pernadas” songname=”Love Vs Love” play_target=”footer”]

7 thoughts on “A música portuguesa a gostar de si própria”

  1. Eish! Essa Entente!!!!! é que nunca mais me lembrava deles!!!!,
    “nada pra ninguém” faz-me lembrar a Festa do Avante,
    e o Pernadas não conhecia.

    1. nem eu me lembrava dos essa entente 🙂 e aí entro eu: Lembra! Lembra!

      festa do Avante? comunista!!!! 😀

      nem eu conhecia o pernadas, e aí entro eu: Conhece! Conhece!

      os capas são boas, os títulos melhores e a musica é musica de quem gosta de musica

  2. a primeira patada nos tomates que o gajo me deu foi esta

    isto merece ouvir-se com bom som, quando era puto toda a gente que “ouvia” musica queria ter uma alta fidelidade, boas colunas, amplificadores, etc
    agora ouve-se em computadores e telefones com som mauzinho

    notei isto recentemente com o ry x, ouvir o o sweat no carro é outra dimensão comparando com o pc.
    e o som num carro não se pode dizer que seja o paraíso

  3. gosto dos esse entente, para além de mandarem vir mais duas quando se está a acabar as três, em 1989 chamar “dança nua” a uma musica é coisa de visionário. 30 anos depois resultou assim a minha pesquisa no youtube

Comentário (nome, etc, é opcional)