Para ser brilhante é preciso arriscar ser ridículo,

e depois conseguir não ser ridículo.