Entrou hoje em vigor um novo regime jurídico da adopção.

Consiste em escolher uma criança na rua e fugir com ela. Passados 2 ou 3 anos é sua. E os pais, se amarem realmente o filho ou filha, devem concordar e abdicar dela em favor dos raptores.

Isto em nome do famoso superior interesse da criança, claro está.

Se alguém me levasse a filha ia buscá-la, pela força se preciso fosse. E o gajo que a tivesse levado ia ficar com a cara boa para lavar pratos. Mas isto sou eu, um egoísta que se está marimbando para o stress emocional causado por a arrancar da casa onde teria sido criada.