Porque é que o solitário é tão viciante?