Como seguir com a normalidade, quando se está perante o fim de tudo?