Como seguir com a normalidade, quando se está perante o fim de tudo?

Comentário (nome, etc, é opcional)