Como se pode imaginar o que não existe, se não existe?