Como se pode imaginar o que não existe, se não existe?

Comentário (nome, etc, é opcional)