Não tenho fome nem sede. Só indiferença e a noção de que nada cresce. Nem o silêncio.


Deixar uma resposta