uma pergunta não devia ser, por definição, improvável?