Porta fechada

Porta fechada

A porta fechada
A cara voltada
O chão se aproxima

Do murro arrependido
Do elevador não caído
O corpo se aperta

E eu não sou já de mim
sou do gosto que não dei
e de mim se tomou

E não sei que mais tarde
serei das águas do Tejo
ou doutro rio mais aquém

Não terei trejeito, nem jeito sequer
poderei quanto muito rimar
com quem, como eu, tal não puder:
Uma cor, uma pedra ou talvez um pomar.

Não há má publicidade

Há quem critique persistentemente os maus da fita. O Trump, o Bolsonaro e agora está na moda um tal de Pardal.
Eles agradecem. Para um politico, tal como para a margarina, o pior que pode acontecer é não aparecer.
Querem matar o Pardal? Reduzam-no à sua insignificância. Se continuar a encher páginas de jornais e blogues, ainda acaba candidato a presidente.

Santa estupidez

A malta que dantes andava a pé ou de transportes públicos agora anda em transportes individuais movidos a electricidade.

41% da electricidade do mundo é gerada em centrais a carvão fóssil


Germany, Niederaussem, view to coal-fired power station

15% da electricidade é gerada em centrais nucleares e 20% pela queima de gás.
Moderninhos, ide-vos pendurar pelas unhas.

Sei que é Verão mas não mando na pura da minha cabeça, para além disso já estou a trabalhar e segunda tenho que ir para o perineu do mundo

Não é ilegal negar a um homem as condições mínimas para viver.


Mas quem queira morrer por não ter como viver, isso sim é ilegal.
Vêm os policias e tribunais a dizer que não se pode morrer. Tipo os amigos que não fodem nem deixam foder.

Antes ser cão.