• 09 Mai 2019

    Escritas ao deitar

    em todas as noites me feres como um animal
    a carne queimada junto ao coração

     

     

    vem a noite pela língua
    abismo de júpiter

    a rosa

     

     

    acordas

    olhas-me
    olho-te

    é tudo

     

     

    quantas maneiras há para escavar o teu nome no silêncio?

     

     

    como é breve a boca, de lábio a lábio

     

     

    a luz contribui para a confusão. durmo