• 03 Mai 2019

    Quem foi o Jorge Afonso?

    No fim do almoço vieram oferecer-me um moscatel. Como sabe esta gente que sou de Setúbal?
    Não nasci nem vivo lá, mas sou de lá. Na verdade sou de muitos sítios, como as raízes de uma árvore. Mas a raiz mais forte é de lá.

    Amar é fácil. É o meu estado natural. Amar o que a cada momento ame de volta já necessita de um qualquer encontro astral.

    Nenhum de nós é racista certo? Então porque é que os casamentos inter-raciais são raros? As raças existem? E é assim tão mau gostar mais de uma raça do que de outra? Vejo qualidades em tudo mas nada é igual. Donde veio isto de sermos iguais? Não somos.
    Ah e tal, o mal está nos preconceitos. Julgar injustamente, sem avaliar objectivamente em função dos méritos da pessoa em si. Talvez, mas esta conversa não vai dar a lado nenhum.

     

     

     

     

     

     

  • 03 Mai 2019

    Tesourinho animante

    Fez-me rir, pôs-me a cabeça a andar à roda, e quando acabou desejei que tivesse mais três horas de filme.
    São tão os raros os filmes que não têm pretensões de ensinar nada, mas que nos ajudam a perceber tudo.

    Voltei ao principio. Quero ficar mais um bocado neste filme.

    And even the horses had wings

    Let’s Get A Little Sentimental

    Stabat Mater

    Ode to a screw

    Como fumar um parampo – Lição 1

     

     

     

     

     

     

  •