8 thoughts on “”

  1. Lembrei-me disto que vi há bocado: https://anagilbertphotography.blog/2020/07/19/brilho/

    Já tenho ouvido que há quem sinta e procure o brilho no que à partida sabe haver poucas hipóteses de conseguir atingir, e que o gozo e a motivação giram muito à volta disso, de fazer um caminho para chegar a certo ponto que se deseja e que tem poucas pontas para se concretizar. Ou às vezes chegarem lá e desaparecer o brilho logo a seguir porque a motivação é fazer um caminho.

    De certa forma consigo entender isso quando tem que ver com o lado prático da vida, do trabalho, etc.
    Já na outra zona, do emocional/intimo/afectivo… por aí, humm, não compreendo que a sentir-se brilho da impossibilidade, tal corresponda a algo bom, feliz, que satisfaz pelo lado do bem.

      1. as palavras são legos, gosto de as trocar e rir-me a olhar para elas

        o brilho da impossibilidade e a impossibilidade do brilho

        🙂

      2. olha, aqui estava eu sem estar… agora estou :))
        por alguma misteriosa razão, deixei de receber as notificações das tuas publicações… mas eu volto

Comentário (nome, etc, é opcional)