A noite passada acordei com o teu beijo
Descias o Douro e eu fui esperar-te ao Tejo

 

Chegado ao mar alto abriu-se em dois o mundo
Olhei para baixo dormias lá no fundo
Faltou-me o pé senti que me afundava
Por entre as algas teu cabelo boiava
A lua cheia escureceu nas águas
E então falámos
E então dissemos
Aqui vivemos muitos anos

 

A noite passada um paredão ruiu
Pela fresta aberta o meu peito fugiu
Estavas do outro lado a tricotar janelas
Vias-me em segredo ao debruçar-te nelas
Cheguei-me a ti disse baixinho: “Olá!”

 

O sol inteiro caiu entre os montes
E então olhaste
Depois sorriste
Disseste: “Ainda bem que voltaste!”