Diz-me



Grita-me. Ama-me. Amo-te. No chão. No espaço. Abusa-me. Faz-me trapo. Atira-me sem pudor nem freio. Goza! Fode! Grita!
E depois sussurra-me ao ouvido o inconfessável.

 

 

 


3 Comentários

  • Isabel Pires

    Belos gritos, rasgos de ternura e sussuros, a bordarem uma imagem igualmente bonita e forte.

  • Luis Rodrigues

    Obrigado. Há muito que não punha algo um pouco mais escabroso. E tenho que manter a coerência da incoerência da tinta no bolso.

  • Carla

    Se é para ser sussurrado, então, não é inconfessável, no mínimo será de assumpção temerosa.

    Fora isso, sim senhor, é um bom programa de Sábado à noite.

Deixar uma resposta