Alegoria da Caverna

Diz-se que Nietzsche foi internado depois de beijar um cavalo.

Uns dirão: Xiça, não o deixem sair tão cedo.
Outros vão à procura da história completa e pensam: Xiça, ainda há pessoas boas.

Fico na dúvida, se um sapo beijado dá princesa, o que dará um cavalo?

O beijador de cavalos era famoso pelos aforismos. Há um, que não sei como ele disse exactamente, mas o sentido era este.
Se vires um gajo às piruetas e pinotes na rua, chamas-lhe maluco.
Mas não serás tu que não ouves a música que ele que ouve quando dança?

Quem vive em caixas de sapatos, físicas ou imaginadas, abra janelas. Minúsculas, irregulares e irresponsáveis.


2 Comentários

  • Maria Papoila

    Mas é fantástica a luz dessa janela irregular. Até dançamos com essa luz.

    • Luis

      Tenho um fraquinho pelo cinema argentino. Já vi este filme há muito tempo.
      O que me lembro é isto. Há um rapaz e uma rapariga que vivem em dois prédios deste sem janelas, e que as abrem à martelada.
      Depois de abertas as janelas vêm-se, apaixonam-se e pronto 🙂

Deixe um comentário