• 22 Abr 2018

    Polititicamente incorrecto

    Está na moda dizer-se que andar de bicicleta é que é bom. Que faz sentido encher-se a cidade de ciclovias e lugares de estacionamento só para elas.

    Quem diga o contrário é crucificado mesmo que o absurdo seja óbvio.
    Usar a bicicleta como meio de transporte em Lisboa faz tanto sentido como andar de trenó.

    Ao contrário dos países de onde se quer importar esses modelos, Lisboa está cheia de colinas. Cá a maioria das pessoas mora a grande distância do trabalho. Pelo caminho muitos vão buscar as mercearias e e os filhos.
    Passa pela cabeça de alguém ir de bicicleta do centro de Lisboa para o Cacém ou Seixal? No inverno chegar ao trabalho alagado de chuva e no verão de suor. Depois faz o quê, toma banho no lavatório da casa de banho?

    Por causa de meia dúzia de gatos que usam a bicicleta ao fim de semana para passear e de outra meia dúzia com profissões liberais, poucos horários e dinheiro para morar no meio de Lisboa temos que gramar todas as alarvidades.

    Passo por esta rua com muita frequência. Nas centenas de vezes que por lá passei, só vi 1 (uma) bicicleta a passar. Os carros passam continuamente.

    Isso não impediu uma inteligência rara de lá criar uma ciclovia com um murete que em caso de avaria ou acidente gera o caos, porque deixou haver espaço para passar ao lado.

    Uma das maneiras de se fazer calar quem diga que o rei vai nu, é chamarem-lhe troglodita. Que andar de bicicleta é ser-se civilizado e educado.

    Desculpem, mas não. Para a esmagadora maioria das pessoas ir trabalhar de bicicleta, não é educado, é burro.