Um comentário sobre “Desaprendizagem

  1. “Há um cansaço da inteligência abstracta, e é o mais horroroso dos cansaços. Não pesa como o cansaço do corpo, nem inquieta como o cansaço do conhecimento pela emoção. É um peso da consciência do mundo, um não poder respirar com calma.”

    Bernardo Soares, “Livro do Desassossego”

Deixar uma resposta