A minha vontade é cobarde

A minha vontade é cobarde
A minha vontade é cobarde
foge do que quer
como do que arde
e se tanto mais me ardera
ainda mais quisera

Como pedir o que não sei dizer
fora destas páginas sem peso?
Como as línguas que não sei roubar
longe desta caneta sem alma

Não sei se por acanhamento
se por sofrimento
me encontro afastado
estou morto talvez
da vida descansado

Padrão

Deixar uma resposta