Acho graça ao desconto que se dá aos poetas

Um poeta diz que é um fingidor, que até finge que é dor a dor que deveras sente, e a malta: uau!
Já se for um gajo qualquer, quiçá um jogador, e alguém diz que aquele gajo está sempre a fingir, e é logo buuu!

Isto de escrever faz bem para desenferrujar a língua (como se escrevesse com a língua :). Digo isto porque fiquei preocupado por ter que pensar duas vezes para decidir se a conjugação de fingir era com g ou com j. Fiquei mais descansado quando vi que dá com um e com o outro. Digam lá se a gente não facilita a quem queira aprender português.

Padrão

Deixar uma resposta