6 comentários sobre “

  1. Às vezes uma não tem a ver com a outra. Às vezes complementam-se.
    Dantes gostava de conduzir, agora faço-o porque preciso, já não me satisfaz assim tanto.
    Quando regressei às caminhadas, foi porque precisava. Agora gosto. Preciso porque gosto, gosto porque preciso.

    Também pode ser assim, não pode?

Deixar uma resposta