é terça feira, saí à rua e beijei um notário

outra vez

Há dias em que parece que adormeço antes de acordar

Acho graça quando leio coisas que não estão sequer escritas

E acho graça à malta que protesta, ah e tal, os meus sonhos nunca se realizam. Sonhar o que é possível, chama-se planear, vejam lá se atinam.
Maravilhoso é sonhar elefantes cor de rosa a voar por cima de pontes arco íris. Pontes cinzentas em betão armado é engenharia.
E por isso lá vou saltitando de desilusão em desilusão conforme os sonhos se esfumam no fumo que são. Chato, chato, é viver sem ilusões.
O pessoal é um bocado como os gajos que não vão nem deixam ir. Não se querem iludir, nem se querem desiludir. Oh pá, desamparem-me a loja! Iludam-me e muito, que é disso que gosto.

Padrão

4 comentários sobre “

Deixar uma resposta