4 comentários sobre “

  1. É de isso que se diz sonhar acordado?

    Comecei nisso quando criança, enquanto chovia e comia castanhas, cozidas em fiunchos, ou em nébeda (erva das azeitonas).

    Gostava tanto fazê-lo, sonhar, que logo se converteu em meu vício máis íntimo, até alcanzar extrema facilidade para caminhar sobre nuvens.

    Por isso, ainda hoje, os sonhos me sabem a castanha cozida e me sâo tâo húmidos como indigestos.
    O resto, os que me acontecem no sono, sâo, inconfessaveis alguns, pesadelos a maioría.

    E como sonhar acordado já nâo mo resiste o estómago, os sonhos sâo algo que me resulta estranho.

    … coisas do Luís? porque nâo?

    ***
    e por isso é pelo que
    vejo o mundo tal cal é.

    (Celso Emilio Ferreiro, Longa noite de pedra)

  2. É o nosso destino, andar por aí a sonhar acordados, que os mortos não bebem. (segundo li há pouco).

    E assim vamos de estranheza em estranheza, que é o nosso alimento.

  3. E como qualquer alimento, a estranheza ingere-se em doses moderadas, porque,como diz a Cuca, demasiada metafísica faz-nos mal e há alturas em que devemos apegar-nos com força às coisas banais.

Deixar uma resposta