Hoje descobri duas coisas.

Sei da manipulação e da vigilância que é exercida no facebook e nas redes sociais em geral. Há que calar e não bufar.

Há pouco tempo um inglês antes de partir para a américolândia, escreveu no twitter isto: “Free this week for quick gossip/prep before I go and destroy America?”.
Quem é que não ainda não disse na brincadeira, antes de uma festa ou jogo, coisas do tipo: “bora lá, rebentar com aquilo tudo”. Claro que esse rebentar nada tem a ver com explosivos.

Ora bem, os americainoides que vigiam tudo o que agente escreve na net, apanharam o menino à saída do avião, prenderam-no e depois recambiaram-no de volta para terras de sua majestade. Para a próxima já sabe, se quer ir de férias nada de brincadeiras e muito cuidado com o que diz.

A maior parte das impressoras, e em breve todas, imprimem numa combinação de pequenos pontos o seu numero de série. Estes pontos só são visíveis com certa luz, mas estão lá. Assim os nossos policias do pensamento já podem saber quem escreveu o quê.

Primeiro nem acreditei. Privacidade e liberdade são uma e a mesma coisa. Não sou livre se tudo o que faço, escrevo ou penso for vigiado, lido e escrutinado. É a liberdade que nos estão a tirar e ninguém quer saber, porque quase ninguém sabe.

Um cidadão informado, é um cidadão perigoso porque questiona, e diz não. É mais fácil fazer sem dizer e perguntar.

Ah. A outra coisa é que no parlamento houve uma proposta para que os deputados bebessem água da torneira em vez de água engarrafada. Para evitar essa afronta, os deputados fizeram o que sabem fazer melhor: mentir e manipular números. Podiam ter dito que preferiam água engarrafada, mas isso seria ser honesto, é contra natura.

Em vez disso fizeram uma contas para concluir que beber água da torneira sairia 30 vezes mais caro que água engarrafada. Para estes cálculos complicados feitos pelos senhores inteligentes licenciados em economia, entraram 4680 euros para comprar 100 jarros. Que jarros querem os senhores deputados comprar para custar 468 euros cada um?

Entretanto o meu o pai, a mando desses mesmos senhores deputados, recebe 320 euros por mês para pagar renda, eletricidade, água, gás, alimentação, vestuário, medicamentos, etc. Não pode é comprar um jarro para a água.

Padrão

Deixar uma resposta