Fetiche

é certo que gosto. gosto da palavra e dos fetiches propriamente ditos. aliás a única coisa que diferencia os fetiches do resto das coisas de que a gente gosta, são duas.

a primeira é a gente não o poder confessar à mãe. a terceira é ser imaginário. imaginem concretizar um sonho.

primeiro é um contra senso. não se pode concretizar imaginando.
segundo (no paragrafo anterior enganei-me) é impossível. se concretizassem deixava de ser um sonho, portanto não tinham concretizado. hmm isto não é a mesma coisa que a primeira?

um sonho não é concreto, é abjecto. ai tenho que parar de brincar com a merda das palavras. pensas que isto é o quê? letras não? que é só bateres com os dedos nuns pedaços de plástico rectangulares que quando ao molho uns anormais resolveram chamar teclados? se bastasse isso já viste a quantidades de barbaridades que haveria por aí? Olha para cima. tás a ver?

bom, para justificar pôr uma fotografia a little bit kinky chega, não? sim.

Padrão

4 comentários sobre “Fetiche

  1. fui reler e reverreli, corrigi as ortografias e outras coisas assim, pareceu-me absurdodedico o post a um gajo duas vezes surdo e fica tudo bemagora o que me desapontou foi que já não achei a fotografia assim tão kinky como issoamanhã ponho uma foto duma gaija toda abisurdami aguarda, vai

Deixar uma resposta