15 comentários sobre “INEM

  1. muito bonito!=) e pessoalmente tb não acho que sejam lágrimas! mas no grito da terra já acredito! qum nunca o ouviu nunca sentiu..

  2. vanessa, hoje só me vinham à cabeça coisas relacionadas com chuva, não sei porquê. Estranhissimo, mesmo. :)

    cerejinha, acho que tens razão. mas são também as lágrimas mais estranhas e límpidas.

  3. Bem, as secas, tenho para mim, conduzem a um divã de psicanálise, que guardar mágoas não leva a lado nenhum. Mas há um meio termo. Há lágrimas que não fazem barulho, que são só nossas e de quem faz parte de nós. E essas deixam uma ressaca em forma de dor de cabeça, mas com a alma surpreendentemente leve. Atenção: quando critico as ruidosas, não é o barulho em si. É o espectáculo. É a vontade de levar pancadinhas nas costas, de querer convencer o outro da nossa desgraça. Do papel do coitadinho, fragilzinho, desgraçadinho e todos os inhos que me levam ao vómito.:o)

  4. secas 2 – ruidosas 1porque, para mim, empatam.as ruidosas querem-se longe de olhares curiosos,as secas podem aparecer até à mesa de um qualquer restaurante e só os mais atentos verão o grande nó que formam na garganta.

  5. ==)fipa, ganhei por dois bigodes a um :)

    joana, acho que era o brecht que dizia que o mais difícil era reconhecer o que estava mal, depois é mais simples. dei-lhe razão e desde aí entre outras coisas estou muito mais desbocado

    angela, para cada nó há um óleo. e há óleos tão prazenteiros que me dá vontade de inventar nós, só para os poder desatar

    karlinne, se não funcionar, um xuto de vinho tinto para a veia também resulta muito bem :)

Deixar uma resposta