16 comentários sobre “Primeiro pedido do ano

  1. caraças! é básico, conseguem cindir o átomo e ir a marte, agora fazer passas sem grainhas, está quieto…é só presunção e show-off.dá mais estilo num jantar dizer, “eu sou astronauta, já viajei no espaço e fui a marte” em vez de “inventei as passas sem grainhas”e quem se lixa? as passas, claro.e o que é mais útil?eu quero lá saber se o joaquim já pisou areia que está muito longe daqui.mas dava muito jeito passar o ano despreocupado, sem ter separar as passas do caroço.

  2. * disse:

    a primeira coisa que faço em cada ano novo é fazer os pedidos muito depressinha para poder engolir aquilo tudo quanto antes, trincando o menos possível, empurrando ao máximo com golões de champanhe. neste esqueci-me… não foi mau de todo.se pediste bom humor a alguma passa, parece que resultou. ;)

  3. angela, eu tiro-te as grainhas ;-) também não é coisa que aprecieano sim, ano não, em função das circunstâncias lá como meia dúzia*, já vi montes de desculpas para emborcar copos, agora essa é nova e boa :-)essas três garrafitas de champanhe? ah, foi para empurrar as passas…

  4. eu não sei, mas ouvi dizer, que nos EUA já há uvas sem grainhas. as passas devem ser a próxima invenção…agora que não deve ser agricultura muito “biológica”, não deve hehe

  5. Acho que o teu primeiro pedido já está concedido! Um amigo meu dos EUA, nunca tinha visto uvas com grainhas e achou estranhíssimo que na Europa elas existissem…Se há uvas sem, há passas sem, é só encomendar lá nos States…:)Beijos

  6. ó pá! vocês estão-me a lixar! agora tenho que arranjar outro pedido.e estou sujeito a apanhar um camone qualquer a arengar sobre como inventou as passas sem grainhas e de como se lembrou disso, etc etc :-)

  7. sinceramente, já não consigo iamginar uma passagem de ano sem lágrimas, vómitos e shots de champagne para cada passa…(ainda por cima em 2007 arranjei um roomate com a mania de cozinhar TUDO com passas)

  8. eu gosto de passas, em particular de passas com grainhas.(também como cerejas inteiras, com caroço e tudo, e as pevides das laranjas e das tangerinas e há uns tempos atrás, tendo cuidado para ninguém ver, tenho andado a comer os caroços das maçãs. e claro, nunca tiro a casca dos tremoços)o mais esquisito é que isto não é poesia, ou graça, não, é apenas a realidade, a estranha realidade em que vivo.

Deixar uma resposta